AutoBioteConhecimento: 8 ferramentas para potencializar seu desenvolvimento

Se sua resposta às perguntas “Quais são suas principais qualidades? E defeitos?” ainda for um vazio clichê, esse texto é pra você!

O “autodesconhecimento”, exemplificado na situação acima, ilustra o pensamento do autor Augusto Cury e reflete algo comum que pode ser traduzido para a realidade biotecnológica. Frequentemente, empreendemos imensos esforços voluntariamente para descobrir a função de uma “enzima” (pense no objetivo da pesquisa ou trabalho que você desenvolve e o insira aqui), mas não dedicamos o mesmo empenho para conhecermos a nós mesmos. Esse contraste parece um pouco surreal, não é? Mas talvez seja mais comum do que imaginamos.

Somos instigados a decidir que curso fazer, qual área escolher, que carreira seguir, e fatalmente nos esquecemos de refletir sobre quem nós somos! Muitas vezes, tomamos decisões sem ponderar quais são as nossas principais características, como por exemplo a forma que nos comunicamos, o que nos motiva, qual nossa forma de enxergar o mundo e como isso tudo impacta em nossas carreiras! Apesar do enfoque profissional tratado no texto, é óbvio que o efeito do autoconhecimento (ou da falta dele) é muito mais amplo e se estende a todas as áreas da nossa vida.

A forma como me comunico se alinha mais a qual carreira? Que emprego traria o reconhecimento que busco? Me reconheço apenas profissionalmente?

Se conhecermos o inimigo e a nós mesmos, não precisamos temer o resultado de uma centena de combates. Se nos conhecemos, mas não ao inimigo, para cada vitória, sofreremos uma derrota. Se não nos conhecemos nem ao nosso inimigo, sucumbiremos em todas as batalhas.

Sun Tzu, em “A arte da guerra”, evidencia a importância de nos conhecermos para que tenhamos êxito nas batalhas, seja melhorando nossos resultados acadêmicos, nos relacionando com colegas de trabalho ou conquistando o tão sonhado emprego.

Apesar da importância do tema, não há uma receita infalível para se autoconhecer! É um processo complexo, que demanda dedicação, reflexão e cada um tem seu ritmo!

Algumas pessoas, desde o início da graduação, já têm clareza do quanto sua eloquência, ou alguma outra característica marcante, é uma habilidade fundamental, e a relaciona de forma muito óbvia com uma atuação na área de vendas, por exemplo, e não se vê fazendo outra coisa!

Outras, apesar de estarem no meio de uma pós-graduação, ainda não sabem se preferem trabalhar individualmente ou em equipe, e não há nada de errado nisso. Há várias referências de sucesso, em diversas áreas, que foram profissionalmente negligenciadas em tentativas iniciais, como o Einstein “mau aluno”, ou Walt Disney e sua “falta de criatividade”, que depois… Bem, nem precisamos dizer. Então, não se aflija, sua hora vai chegar, seus esforços só precisam ser corretamente canalizados!

Assim, nosso objetivo é oferecer algumas ferramentas que podem te auxiliar nesse processo de se conhecer melhor! Cabe ressaltar que são ferramentas limitadas e que não fornecem um diagnóstico preciso da nossa identidade, afinal somos muito mais complexos do que as legendas ou perfis que os resultados nos mostram. Mas, é bem provável que haja uma significativa porcentagem de similaridade com alguns traços da nossa personalidade, especialmente se eles aparecerem com recorrência nos resultados dos testes!

Vamos às ferramentas?
  • Teste de Personalidade MBTI (Indicador de Tipo de Myers-Briggs):  provavelmente um dos mais conhecidos, baseado nos Tipos Psicológicos de Jung e aprimorado por Katherine Cook Briggs e sua filha, Isabel Briggs Myers. O teste baseia-se na avaliação das preferências individuais com relação a 4 dimensões dicotômicas:
    • Fonte de energia e interação com os outros (extroversão/introversão);
    • Percepção do mundo e processamento das informações (intuição/sensação);
    • Tomada de decisão e relação com emoções (pensamento/sentimento);
    • Estilo de vida, abordagem e planejamento (julgamento/percepção);

As combinações entre essas dimensões geram siglas correspondentes a 16 tipos de personalidade, e cada pessoa se encaixa em um desses 16 grupos. O teste pode ser feito gratuitamente clicando aqui ou aqui.

  • Painel Pessoal Na Prática: a plataforma traz, gratuitamente, um conjunto de testes sobre os temas abaixo, gerando pontuações para cada um dos atributos avaliados e mostrando uma comparação  com a média dos resultados de outras pessoas que já utilizaram essas ferramentas:
    • Valores: conjunto de crenças que influenciam nossas decisões;
    • Estilos de Trabalho: crenças mais específicas relacionadas ao mundo profissional e preferências com relação à produtividade e satisfação no trabalho;
    • Personalidade: conjunto de traços que geram padrões comportamentais.
  • Eneagrama: sob a ótica de que o fim é sempre o início de um novo ciclo e inspirado na figura geométrica de nove pontos descoberta por Gurdjieff, filósofo que ensinou sobre o autoconhecimento no começo do século passado, aprimorada pelo também filósofo Oscar Ichazo  e posteriormente pelo médico psiquiatra Claudio Naranjo. O teste mapeia nove tipos de personalidade, podendo ser aplicado tanto ao universo pessoal quanto profissional na busca pela melhoria da interação com as pessoas, comunicação, motivação e desempenho. O teste pode ser realizado de forma gratuita! (Para mais informações, clique aqui).
  • Teste de Perfil Comportamental e Cerebral do IBC: desenvolvido pelo Instituto Brasileiro de Coaching® a partir de uma adaptação do trabalho de Ned Herman. Traça um perfil comportamental que avalia a dominância cerebral e preferência dos indivíduos, os categorizando em 4 modelos de comportamento, relacionados a características marcantes e representados por animais (abaixo). Traz ainda vídeos explicativos sobre cada um dos perfis, que são:
    • Idealização (águia);
    • Comunicação (gato);
    • Organização (lobo);
    • Ação (tubarão).
  • Jeito de Ser PinPeople®: da mesma forma como nas relações pessoais precisa acontecer um “match” entre você e a/o “crush”, é desejável que isso aconteça também com a empresa em que você trabalha. Assim, o teste, que  também é gratuito, avalia suas preferências com relação a cultura, valores e estilo de trabalho, para que você busque um ambiente aderente ao seu perfil.
  • Perfil Comportamental MyEtalent®: no plano básico (gratuito), o teste identifica qual seu principal talento, usos e características dele, além de mostrar outros traços comportamentais que estão frequentemente associados a essa habilidade principal.
  • Teste de aptidão: Pontos fortes e fracos – RichardStep® (em inglês, gratuito): se você está procurando conhecer seus pontos fortes e fracos, autoconhecimento e um direcionamento para vida e carreira, esse é um ótimo teste para conhecer suas três maiores fortalezas e sua pior fraqueza.
  • Sabotadores – Positive Intelligence® (em inglês, mas é possível alterar para português):  tão importante quanto conhecer seus pontos fortes é conhecer seus pontos fracos ou sabotadores. Nesse teste, eles são representados como personagens e descritos de forma detalhada (características, pensamentos atrelados, sentimentos que geram, justificativas e impactos que têm no nosso comportamento). Os resultados são dispostos em um gráfico atribuindo pontuações para cada um desses sabotadores, que são: perfeccionismo, agradabilidade, hipervigilância, impaciência, controle, evasão, hiperexecução, vitimismo e hiper-racionalidade.

BÔNUS: E-book “EM BUSCA DO AUTOCONHECIMENTO: As 10 perguntas que não podem faltar” – sugestões de perguntas para guiar o seu processo de reflexão e autconhecimento.

BÔNUS 2: “5 FERRAMENTAS PRÁTICAS PARA PROMOVER O AUTOCONHECIMENTO”ferramentas para te ajudar a entender melhor que rumo seguir na carreira e na vida.

Esperamos que essas ferramentas ajudem no seu desenvolvimento pessoal e você alce os voos que deseja! #Potencializa