Biofertilizantes, microalgas e o desenvolvimento de plantas terrestres

O termo “fertilizante” te deixa com a pulga atrás da orelha?

E esse “bio” na frente, diminui a coceira?

Mas o que as microalgas têm a ver com isso?

Algas não são aquelas “plantinhas do mar”?

Calma, a gente explica tudo!

Não deve ser novidade que uma das grandes preocupações atuais é a grande demanda de alimentos para a população em constante crescimento. O desafio é produzir esses alimentos de forma mais sustentável, reduzindo o uso de fertilizantes químicos que podem afetar negativamente o solo, as plantas e o meio ambiente. Nesse sentido, os biofertilizantes têm sido uma das melhores alternativas aos fertilizantes sintéticos.

Mas o que são biofertilizantes?

De acordo com a Instrução Normativa Nº 46 de 06 de Outubro de 2011, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, biofertilizante é:

produto que contém componentes ativos ou agentes biológicos, capaz de atuar, direta ou indiretamente, sobre o todo ou parte das plantas cultivadas, melhorando o desempenho do sistema de produção e que seja isento de substâncias proibidas pela regulamentação de orgânicos.”

Biofertilizantes se constituem de microrganismos vivos, que promovem o crescimento da planta, melhorando a disponibilidade de nutrientes para o vegetal. Além dos  microrganismos benéficos, é possível encontrar nos biofertilizantes diversos nutrientes e hormônios vegetais.

Esse tipo de adubo pode ser produzido  por meio de diferentes técnicas e a partir de diversas fontes, como resíduos de cana, esterco, leite, entre outras. Uma vez aplicados no solo, os biofertilizantes colonizam a rizosfera e até mesmo o interior das plantas.

Por que utilizar biofertilizantes?

A utilização de biofertilizantes tem sido considerada uma abordagem ecológica, muitas vezes associada à agricultura orgânica e ao controle biológico de pragas. Alguns dos benefícios de sua aplicação são o aumento da população de microrganismos benéficos, maior estabilidade do solo e aumento da transferência de nutrientes para as plantas – principalmente nitrogênio e fosfato.

E o que são microalgas?
Alga verde do gênero Scenedesmus. Fonte: Frank Fox, via Wikimedia Commons.

O termo microalgas se refere a um grupo que inclui microrganismos geralmente unicelulares, que realizam fotossíntese e são encontrados principalmente em ambientes aquáticos, mas também no solo. Neste grupo estão reunidos organismos procariotos, como as cianobactérias, e eucariotos, como as clorófitas (algas verdes), dentre outros.

Nós já temos um texto explicando como essas belezinhas são utilizadas para produzir cosméticos, confira!

Por que microalgas para biofertilizantes?

Fáceis de cultivar a um baixo custo, as microalgas têm ganhado atenção em diversos campos de pesquisas biotecnológicas, como na produção de cosméticos, alimentos e biocombustíveis. O interesse por esses microrganismos está na diversidade de substâncias que produzem durante seu metabolismo, como lipídeos, proteínas, carboidratos, hormônios, entre outros, que são utilizados em diferentes bioprocessos. Além disso, microalgas também têm sido aplicadas no tratamento de águas residuais, pois são capazes de consumir diversos poluentes.

Exemplo de fotobiorreator, onde são cultivadas microalgas. Fonte: Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento de Energia Autossustentável (NPDEAS) da UFPR.

Dentre os benefícios que os biofertilizantes à base de microalgas oferecem às plantas e ao ambiente no seu entorno, estão:

  • incremento da matéria orgânica no solo;
  • melhora na porosidade do solo;
  • aumento da oferta de oxigênio na rizosfera;
  • aumento na retenção de água do solo;
  • liberação de substâncias promotoras de crescimento vegetal;
  • melhoria na salinidade e controle da acidez do solo;
  • prevenção do crescimento de ervas daninhas;
  • aumento da disponibilidade de fosfatos para as plantas.
Efeitos dos biofertilizantes sobre as propriedades fisiológicas e bioquímicas do solo. Traduzido de Chatterjee. et al. (2017, p. 194)

E mais: existem microalgas geneticamente modificadas que têm capacidade aumentada de fixação de nitrogênio ou que são tolerantes a alguns herbicidas aplicados nas plantações.

Apesar de ainda estar em estudo e desenvolvimento, já existem empresas comercializando biofertilizantes derivados do cultivo de microalgas. Uma delas é a Bio-co2, do nosso quase vizinho, Chile.

Diante de tantos fatores positivos, não podemos negar que a tecnologia de biofertilizantes que utilizam microalgas só tem a oferecer benefícios às plantas e ao meio ambiente! Você já tinha ouvido falar sobre os biofertilizantes à base de microalgas? Agora que já sabe um pouco, que tal compartilhar?

Para saber mais sobre o cultivo e os usos das microalgas, confira este vídeo:

Referências

CHATTERJEE, A. et al. Role of Algae as a Biofertilizer. Algal Green Chemistry, p.189-200, 2017. Elsevier. http://dx.doi.org/10.1016/b978-0-444-63784-0.00010-2. Disponível em: <http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/B9780444637840000102>. Acesso em: 25 out. 2017.

DERNER, Roberto Bianchini et al. Microalgas, produtos e aplicações. Ciência Rural, Santa Maria, v. 36, n. 6, p.1959-1967, dez. 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/cr/v36n6/a50v36n6.pdf>. Acesso em: 29 out. 2017.

GEMIN, Luiz Gabriel. Aplicações foliares de suspensões da microalga Scenedesmus subspicatus como biofertilizante no cultivo orgânico do tomateiro. 2016. 55 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Agronomia, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2016. Disponível em: <http://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/45113/R – D – LUIZ GABRIEL GEMIN.pdf?sequence=1>. Acesso em: 29 out. 2017.

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa Nº 46 de 06 de Outubro de 2011 (produção Vegetal e Animal) – Regulada Pela IN 17-2014). Disponível em: <http://www.agricultura.gov.br/assuntos/sustentabilidade/organicos/legislacao/portugues/instrucao-normativa-no-46-de-06-de-outubro-de-2011-producao-vegetal-e-animal-regulada-pela-in-17-2014.pdf/view>. Acesso em: 30 out. 2017.

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Fichas Agroecológicas: Biofertilizante. Disponível em: <http://www.agricultura.gov.br/assuntos/sustentabilidade/organicos/fichas-agroecologicas/arquivos-fertilidade-do-solo/4-biofertilizante.pdf>. Acesso em: 30 out. 2017.

UYSAL, Onder; UYSAL, F. Ozge; EKINCI, Kamil. Evaluation of Microalgae as Microbial Fertilizer. European Journal Of Sustainable Development, v. 4, n. 2, p.77-82, 1 jun. 2015. European Center of Sustainable Development. http://dx.doi.org/10.14207/ejsd.2015.v4n2p77. Disponível em: <https://ecsdev.org/ojs/index.php/ejsd/article/view/238/229>. Acesso em: 25 out. 2017.

Um comentário em “Biofertilizantes, microalgas e o desenvolvimento de plantas terrestres

Os comentários estão encerrados.