Como destacar seu currículo para uma carreira em biotecnologia

Você já se candidatou a mais de 50 vagas e nada de ser chamado para a entrevista de emprego? Destacamos dois pontos importantes que podem facilitar sua entrada no mercado de trabalho: estar preparado para se candidatar às vagas e redigir um bom currículo.

Não tem jeito, o primeiro passo para conquistar um bom emprego é a preparação. Você se considera preparado para concorrer às vagas de trabalho? Acha que aproveitou tudo que sua universidade pode oferecer para bombar seu currículo?  Se a resposta for “não”, dê uma conferida, antes de prosseguir, no nosso texto sobre 8 conselhos de bacharéis em biotecnologia que os futuros biotecnologistas merecem receber antes de se formar.

O segundo ponto que consideramos crucial para que você seja chamado para entrevistas é o currículo! Como o primeiro contato da empresa e/ou do recrutador com você é através desse material, é extremamente importante que ele seja bem montado e destaque suas habilidades e experiências. Neste texto traremos dicas de como escrever um bom Curriculum Vitae (CV), com alguns destaques para quem quer seguir carreira em biotecnologia.

Você já pensou quantos currículos a empresa que você sonha em trabalhar recebe por dia? A GOOGLE, por exemplo, recebe cerca de 70 mil currículos semanalmente! Você precisa ter um currículo excelente para chamar atenção de grandes corporações. Colocar glitter ou fonte COMICS SANS MS não irá ajudá-lo.

Antes de começarmos, é importante lembrar que Curriculum Vitae (CV) não é Currículo Lattes, erro comumente cometido e muito mal visto em empresas. O Currículo Lattes é muito extenso e contém informações que não são relevantes para a empresa ou que podem ser apresentados de uma maneira mais interessante (como vamos explicar a seguir). Pode-se anexar o link do Lattes caso a vaga exija conhecimento acadêmico, ou até mesmo se a empresa demonstra em sua base de valores conhecimentos mais específicos que você possua e estejam representados nele.

Sabendo que escrever um bom CV é uma etapa importante para o início da sua carreira em biotecnologia, vamos às dicas para fazê-lo se destacar?

O que colocar em um CV?

É importante que você seja sucinto e coloque apenas o que for relevante para a vaga em questão. Um currículo ideal possui somente uma página, no máximo uma página e meia! Para quem está começando, fica fácil manter o tamanho máximo, mas para quem já possui alguma experiência, é importante ser conciso e manter a estrutura básica com as informações requeridas para a vaga de interesse.

Qual a estrutura básica de um CV?

A estrutura básica consiste em Dados Pessoais, Área de Atuação, Formação, Experiências Profissionais,  Cursos e Atividades Extras e Habilidades. Vamos explicar cada um dos tópicos a seguir:  

  • Dados pessoais: coloque, primeiramente, seu nome completo e pelo menos um meio de contato que você verifique com frequência (mas atenção, utilize um endereço de e-mail profissional!). Já pensou perder a oportunidade por escrever o telefone ou e-mail errado?  O RG, CPF e estado civil não são necessários no CV.  Também não precisa colocar foto  (apenas se for um requisito para a vaga).  Informe seu endereço atualizado e, se houver disponibilidade para mudanças, também acrescente essa informação entre parênteses após o endereço.
  • Área de atuação: É bacana para o recrutador já visualizar qual é o cargo em que você pode se encaixar. Coloque frases curtas, com destaque, informando de maneira breve e genérica com o que você trabalha. Exemplo: Pesquisa e desenvolvimento, controle de qualidade, etc…
  • Formação: Descreva, de forma sucinta, seu curso de graduação e pós-graduação. Use sempre a ordem do mais recente para o mais antigo. Exemplo básico e eficaz:
    • Mestrado em Biotecnologia Molecular – Universidade … (Cidade/Estado) , 2015 (em curso)
    • Graduação em Biotecnologia  – Universidade …  (Cidade/Estado), 2011 – 2014.

Lembre-se de colocar o nome da sua faculdade por extenso com as siglas entre parênteses. Colocar UFRGS ou UFSCar pode não significar nada para o recrutador.

  • Experiências profissionais: Não é necessário colocar todas as informações da sua vida. Faça a seleção do que for realmente relevante para a vaga, o bom e velho: “who cares?”.

Escreva em ordem cronológica invertida, destacando o ano, a empresa, a cidade em que trabalhou e, abaixo dessas informações, o cargo que exerceu, pontuando algumas atividades específicas. Por exemplo:

(2011-2015) LabMax Ltda. – Empresa especializada na produção de vacinas

Cargo: Coordenadora de qualidade

Atividades:

– Análise de dados dos ensaios realizados

– Emissão de laudo técnico

Se for possível, tente quantificar o resultado do seu trabalho. Na área de biotecnologia, isso é um pouco mais difícil, já que às vezes não dá para escrever  “aumentei o rendimento em X % ao ano”, ou “aumentei o portfólio de clientes X vezes em 3 meses”. Para nossa área, é preciso gastar alguns neurônios para conseguir transferir “western blotting, extração de RNA e PCR” para algo mensurável. Aqui vão alguns exemplos:

“melhorei o rendimento de um processo biotecnológico em 30%”,

“estabeleci uma rede de colaborações entre diferentes laboratórios da empresa”,

“implementei a tecnologia estado da arte CRISPR-cas no laboratório”,

“desenvolvi um conjunto de metodologias para caracterização dos nossos produtos”

Você pode apenas listar suas experiências ou pode mostrar o que você agregou para a companhia. O que você prefere?

E essa dica vale também para quem está na pós-graduação. Para mais sugestões de como descrever as tarefas desempenhadas na Academia, de uma olhada neste link (em inglês): Do you speak resume?

  • Cursos e Atividades extras: Destaque aqui cursos e atividades que se encaixem na vaga, como aquele curso de idiomas e, principalmente, aquelas atividades voluntárias que são muito bem vistas, mostrando a sua pró-atividade e identificação de valores pela empresa. Mas coloque apenas os cursos relevantes para a vaga que você deseja, não adianta deixar a lista muito extensa. Este tópico também pode ser chamado “Informações Adicionais”.
  • Habilidades: Caso tenha conhecimento em algum programa que possa ser interessante, ou em legislação, sempre é bom destacar! Você também pode listar neste tópico as técnicas laboratoriais que você sabe executar, caso seja algum requisito para a vaga.
Mas se eu nunca trabalhei, meu currículo vai ficar vazio?

Calma! Se você não tem experiência profissional com carteira assinada, você pode personalizar este espaço com o tipo de experiência que você tem.

Por exemplo, no caso de Iniciações Científicas, você pode criar o tópico “Experiência em Pesquisa” e descrever o estágio da mesma forma que uma experiência profissional, afinal de contas você desenvolveu diversas habilidades na sua IC, não é mesmo? Lembre-se de colocar se você foi bolsista e também o nome do orientador (se ele é conhecido na área, isso pode te abrir portas).

No caso de experiências em Centro Acadêmico, Empresa Júnior ou Atlética, você pode criar um tópico genérico de “Experiências” e descrever seus cargos e atividades nessas agremiações. Essas experiências são interessantes porque mostram ao recrutador que você desenvolveu habilidades de trabalho em equipe e diversas soft skills e, dependendo do cargo que exerceu, aprendeu algumas habilidades que podem ser úteis na hora de conseguir um emprego.

Procurando estágio? Ressalte em seu CV as experiências realizadas na graduação!

Atenção: Caso você esteja mais avançado na carreira ou esteja terminando uma pós-graduação, detalhar todas as experiências da sua graduação pode criar um volume desnecessário no seu CV e tirar o destaque das experiências que você adquiriu depois de formado. Como dito anteriormente, é preciso saber moderar as informações para que o seu currículo fique sucinto e destaque as informações relevantes. Caso você queria mencionar alguma das experiências da sua graduação, você pode fazer um tópico de “Experiência acadêmica” e descrevê-las em uma linha. Por exemplo:

“2012 – Presidente do Centro Acadêmico”

“2013 – Organização da Semana Acadêmica de Biotecnologia”

Mais alguma dica?
  • Dedique-se! Um bom currículo não é feito com pressa. Separe um tempo para se dedicar à escrita e lembre-se de ir atualizando conforme adquire novas habilidades ou formações.
  • Escreva na forma de tópicos. Os recrutadores farão primeiro uma leitura dinâmica do seu CV. Facilite o encontro das informações relevantes quando o recrutador ‘bater o olho’ no seu CV, sem se perder por textos extensos.
  • Use verbos fortes para descrever suas experiências. Veja uma lista com este tipo de verbos aqui.
  • Evite repetições de palavras. Observe se todos os seus tópicos começam com “ responsável por” ou “realizei”, que são palavras comuns em currículos. Se necessário, faça substituições por sinônimos.
  • Mantenha a formatação padrão em todos os tópicos do seu currículo! Isso inclui: fonte, tamanho da fonte, cor, negrito e itálico. Se o título da empresa que você trabalhou for colocado em negrito, tem que ser colocado em negrito para todas as outras empresas.  Procure utilizar fontes padrão, como TIMES NEW ROMAN, ARIAL e CALIBRI e trabalhe com tamanho de fonte 11 a 14 pt.
  • Fique a vontade para usar templates para criar seu CV. Confira alguns modelos aqui.
  • Peça sempre para outra pessoa ler seu currículo! Quando estamos imersos, podemos deixar passar vários errinhos de português, digitação e formatação. Porém, não há nada mais deselegante que enviar um currículo com erros de ortografia para um recrutador: é eliminação na certa.
  • Se destaque na hora de entregar o currículo.
Esperamos que com nossas dicas você receba o tão esperado “sim” para uma entrevista de emprego!

Agora, com essas dicas, você vai ser capaz de montar um esqueleto básico do seu CV. Mas ele não é imutável! Tente sempre adaptá-lo de acordo com a vaga para a qual  você está se aplicando: personalize os campos de área de atuação, descrição das experiências profissionais, habilidades e cursos com informações relevantes. Muitas vezes, o anúncio da vaga contém palavras e expressões-chave que os recrutadores estão buscando e se você as utilizar em seu currículo, será destacado.

Quando a candidatura da vaga é realizada por plataformas como o Vagas.com ou o Linkedin, você terá uma estrutura básica que não pode ser personalizada. Neste caso, você pode ser um pouco mais prolixo. Confira dicas específicas para preenchimento de LinkedIn e do currículo no vagas.com. Se você ainda tem dúvidas entre os usos do Linkedin e do CV, dê uma olhada neste texto do Profissão Biotec. E se você quer saber como utilizar o Linkedin para conseguir um estágio, esse link é para você!

Com seu CV montado, você já está no caminho para conseguir a tão sonhada vaga de emprego em biotecnologia! Caso queira se inspirar nas trajetórias de biotecnologistas que estão atuando no mercado de trabalho, acompanhe o projeto #soubiotecnologista do Profissão Biotec. Fique de olho no nosso próximo texto, onde vamos dar dicas de como montar uma carta de apresentação.

Tem outras dicas de CV? Compartilhe com a gente deixando um  comentário.
Texto feito em co-autoria. Jéssica participa da avaliação de perfis na empresa em que trabalha, a Regenera Moléculas do Mar, e Natália é mentora voluntária de currículo e carreira no Projeto Joule.

“>

Um comentário em “Como destacar seu currículo para uma carreira em biotecnologia

Os comentários estão encerrados.